Aprender a valorizar | Adoção Escolar

Aprender a valorizar

As vezes fica complicado aproveitar o dia, reparar nas pequenas coisas, ouvir o que não nos é dito, e vê a beleza de tudo a nossa volta.

Parece que estamos tão presos a rotina, e ao que nos é “cômodo”, que é tudo muito normal, e sem graça.

Há algum tempo, na verdade, bem pouco tempo, eu parei um pouco pra pensar nisso.

É incrível, eu nunca fui do tipo que só se importa consigo mesmo, ou leva tudo muito ao ” deixa vida me levar”, entretanto eu tinha uma rotina fácil de seguir, sem grandes obstáculos.

De repente, como uma explosão nuclear, eu fui tombada pela vida, e minha vida revirou, não que de maneira ruim, mas é certo que nada tão rápido e ao mesmo tempo, seja fácil de se lidar.

Eu me vejo de frente a diversos obstáculos, nesse exato momento, e vejo nisso, uma grande, enorme, extraordinária, oportunidade de me superar, e descobrir meu verdadeiro eu. Afinal, não existe vitória, se não houver jogo.

Eu me sinto grata, na verdade o sentimento de gratidão é o que mais tem estado presente em meus dias desde que tudo tem ficado tão difícil.

Grata a tudo, a meu colégio, aos meus maravilhosos professores, ao meus amigos, e aos que nem são tão amigos assim, já que são eles quem me fazem aprender a valorizar os verdadeiros. A minha família, a minha condição financeira (ainda que não seja das melhores), minha cama, que tem sido tão bem mais valorizada ultimamente, ao ceap, e principalmente a minha mãe, a grande mãe, que eu tenho a bênção de chamar de minha.

Mas não só isso, é como se agora que está tudo tão apertado, e complicado, o dia fosse mais importante, as atividades de casa e da escola fossem mais divertidas, tenho a impressão que o sol e o céu a cada dia estão mais lindos, as folhas das árvores estão sempre tão verdes, e tenho encontrado pessoas tão mais agradáveis, elas são as mesmas de antes. As mesmas que eu já conhecia ontem, semana passada, a um ano, elas não mudaram. Eu mudei.

Eu aprendi a valorizar mais as coisas.

Talvez nem todo mundo passe pelo que eu estou passando agora, e é por isso que resolvi escrever esse texto.

Se sua rotina continua a mesma, e está tudo sempre igual, mude algo, crie metas, conheça pessoas novas, e reconheça quem você já acha que conhece, não olhe para as coisas como se você as visse todos os dias, mas sim com um olhar fraterno, de certa forma até infantil, olhe como nunca tivesse visto, e se lembre que, talvez, nunca mais possa vê.

Aprenda a ser feliz com o pouco que tens, afinal, é pouco pra quem?

Ana Carolina Fernandes



CONTATO

Utilize um de nossos canais de comunicação para tirar suas dúvidas ou se tornar um apoiador.


(71) 3328-3783 // 3784



lideranca@ceap.org.br



facebook.com/ceap.tecnologia



twitter.com/ceap_ong